31 3409.2348 contato@ufmgsoccer.com

BIOLAB

O Laboratório de Biomecânica – BIOLAB, fundado pelo prof. Hans Joachim Karl Menzel, dedica-se à investigação na área da Biomecânica do esporte. Neste campo, desenvolveu, historicamente, estudos em duas grandes áreas: relação entre assimetria de força e desempenho/lesão em jogadores de futebol, e análise de variáveis mecânicas nos pequenos jogos.

A Biomecânica é a ciência que descreve e explica movimentos de sistemas biológicos utilizando termos, princípios e leis da mecânica, é uma disciplina científica importante na Educação Física/Ciência do Esporte, Fisioterapia, e Medicina. Os objetivos principais da Biomecânica são a análise do desempenho humano e estudo da carga mecânica para reduzir do risco de lesões. Além disso, ela analisa a antropometria do ser humano com o objetivo da análise de aptidão para diferentes tarefas e exigências motoras e o desenvolvimento de modelos mecânicos do corpo humano.

Durante as últimas duas décadas, foram desenvolvidos estudos em diversas modalidades esportivas. Dentre estas, destacam-se os estudos desenvolvidos no âmbito do futebol, os quais criariam um permanente espaço de qualificação profissional e intercâmbios com o mercado de trabalho. Atualmente, os estudos em futebol no laboratório de Biomecânica – BIOLAB– são coordenados pelo Prof. Dr. André Gustavo Pereira de Andrade, membro do UFMG Soccer Science Center e pelo Prof. Dr. Mauro Heleno Chagas.

O prof. André Gustavo Pereira de Andrade, coordenador dos estudos em futebol dentro do Laboratório de Biomecânica, é atualmente professor adjunto no Departamento de Esportes da Universidade Federal de Minas Gerais. Desenvolve pesquisas relacionadas ao futebol desde 2005 e consultoria nas seguintes áreas: análise da assimetria de força e sua relação com desempenho/lesão; análise de dados (modelos estatísticos- Big Data) no Futebol; análise de variáveis mecânicas nos pequenos Jogos no Futebol.

 

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

Na área da Assimetria de força estudamos:

  • Relação da assimetria de força de membros inferiores com lesões não traumáticas em jogadores de futebol
  • Relação da assimetria de força de membros inferiores com desempenho em testes de agilidade em jogadores de futebol
  • Relação da assimetria de força de membros inferiores com o perfil termográfico em jogadores de futebol

Na área dos pequenos jogos estudamos:

  • Análise das variáveis mecânicas nos pequenos jogos praticados com diferentes tamanhos do campo, números de jogadores e regras.

Na análise estatística relacionada ao futebol investigamos:

  • Modelos estatísticos para análise de jogo.
  • Modelos de predição de lesões a partir da carga de treinamento aplicada
  • Big data

 

NOSSOS ALUNOS


Alexandre Augusto Rodrigues Alves
Aluno de mestrado (orientador: André Gustavo Pereira De Andrade); atualmente é preparador físico de atletas profissionais e amadores no Centro de Treinamento FIVE.


Júlio César Lemes
Atualmente é aluno de mestrado, sob orientação do prof. Dr. Mauro Heleno Chagas, e estagiário na área de preparação física do Coimbra Esporte Clube


Wandris Pinheiro Andrade
Aluno de Mestrado (orientador: André Gustavo Pereira de Andrade); Ex- jogador de futebol profissional; avaliador físico e coordenador técnico de musculação; atualmente é membro do Laboratório de Biomecânica da UFMG (BIOLAB).


Elano Berto
Aluno do Laboratório de Biomecânica – Graduado em Educação Física com especializações em Treinamento Esportivo e Fisiologia do Exercício. Foi atleta profissional de futebol. Atualmente é treinador de goleiros das categorias de base do Clube Atlético Mineiro.

 

Alguns artigos relacionados ao futebol

BREDT, S. G. T. ; TORRES, J. O. ; CUSTÓDIO, I.J.O. ; ANDRADE, A. G. P. ; MORALES, J.C.P. ; CHAGAS, M. H. ; GRECO, P. J. . Influence of Numerical Superiority and Players? Tactical Knowledge on Perceived Exertion and Physical and Physiological Demands in Soccer Small‐Sided Games. Revista de Psicologia del Deporte, v. 27, p. 1, 2018.

PRACA, G. M. ; CLEMENTE, F. ; MORALES, J. C. P. ; ANDRADE, A. G. P. ; GRECO, P. J. . Network analysis in small-sided and conditioned soccer games: the influence of additional players and playing position. Kinesiology, v. 49, p. 1-9, 2017.

PRACA, G. M. ; MORALES, J. C. P. ; BREDT, S. G. T. ; SOUSA, R. B. E. ; ANDRADE, A. G. P. ; GRECO, P. J. . The Development of Tactical Skills in U-14 and U-15 Soccer Players Thoughout a season: A Comparative Analysis. HUMAN MOVEMENT, v. 18, p. 39-47, 2017.

ARAUJO, S. R. S. ; MEDEIROS, F. B. ; MENZEL, H. J. K. ; CHAGAS, M. H. ; ANDRADE, A.G.P. ; CANCADO, G. H. C. P. ; FERREIRA, J. C. . Diagnóstico de assimetrias laterais em jogadores de futebol das categorias de base por meio do salto horizontal monopodal. REVISTA PORTUGUESA DE CIÊNCIAS DO DESPORTO, v. 01, p. 36-46, 2017.

PRACA, G. M. ; FOLGADO, H. ; ANDRADE, ANDRÉ GUSTAVO PEREIRA ; GRECO, P. J. . Influence of additional players on collective tactical behavior in small-sided soccer games. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano (Online), v. 17, p. 62, 2016.

MENZEL, H. J. ; CHAGAS, Mauro Heleno ; SZMUCHROWSKI, L ; ARAUJO, S. R. S. ; ANDRADE, A. G. P. ; AMORIM, F. . Analysis of lower limb asymmetries by isokinetic and vertical jump tests in soccer players. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 27, p. p.1-2013, 2013.

DE ANDRADE, MARCELO TEIXEIRA ; SANTO, LUCIANO CHEQUINI ESPIRITO ; ANDRADE, ANDRÉ GUSTAVO PEREIRA ; OLIVEIRA, GUSTAVO GUIMARÃES AGUIAR . Análise dos gols do Campeonato Brasileiro de 2008 – Série A. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 37, p. 49-55, 2015.

MENZEL, H. J. ; CHAGAS, Mauro Heleno ; SIMPLÍCIO, A. T. ; MONTEIRO, A. D. ; ANDRADE, A. G. P. . Relação entre parâmetros dinâmicos de membros inferiores e velocidade de locomoção em jogadores de futebol. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE, v. 19, p. 233-241, 2005.

 

EQUIPAMENTO E SOFTWARE

Plataforma de Força

Plataforma de Força – parceria com Inovação Tecnologia Esportiva

É um equipamento desenvolvido para aquisição de curva de força de reação vertical do solo (FRS).

Opções de utilização:

  • Plataforma de força simples ou dupla

Plataforma de força

Software Sports performance measuring (SPM)

Acompanha o software para coleta de dados na frequência de 1000 Hz

Testes realizados:

  • Posturografia
  • Salto agachado
  • Salto com contramovimento
  • Salto em profundidade
  • Agachamento
  • Protocolo livre

Relatório do protocolo de saltos com as seguintes variáveis:

  • Impulso
  • Pico de força
  • Altura do salto
  • Tempo de vôo
  • Tempo de contato
  • Velocidade de saída
  • Assimetria de força
  • Transfere dados para um bloco de notas.
  • Recurso de Criação de Relatórios pré-definidos e padronizados.

 

SERVIÇOS

Diagnóstico da assimetria de força em atletas de futebol

O diagnóstico da assimetria de força em atletas de futebol se baseia na aplicação de testes, cientificamente validados utilizando a plataforma de força. Neste ponto, é oferecido:

  • Relatório individualizado dos atletas em relação à assimetria de força nos protocolos de saltos verticais;
  • Monitoramento da assimetria de força ao longo da temporada.

Avaliação da capacidade de agilidade em jogadores de futebol

Agilidade pode ser definida como um movimento rápido de todo o corpo com mudança de velocidade e ou direção em resposta a um estímulo de um oponente em um ambiente imprevisível. Segundo o modelo elaborado por Sheppard e Young (2006), a agilidade é composta por componentes físicos e cognitivos, sendo o componente físico representado pela velocidade de mudança de direção e o componente cognitivo representado pela capacidade de percepção e tomada de decisão (Figura 1). Em esportes como o futebol, a agilidade pode influenciar no desempenho dos jogadores tanto nos momentos ofensivos, para evitar impactos com o adversário e obter vantagens posicionais, quanto nos defensivos, para reduzir o espaço do adversário e induzir ao erro.

Figura 1 – Modelo teórico da Agilidade

Fonte: adaptado de Sheppard e Young (2006)

Os testes de agilidade são realizados por meio de fotocélulas e/ou sensores inerciais.

Consultoria em análise de dados-BIG DATA no futebol

Embora o termo “big data” seja relativamente novo, o ato de coletar e armazenar grandes quantidades de informações para análises eventuais é muito antigo. O conceito ganhou força no começo dos anos 2000, quando o analista Doug Laney articulou a definição atualmente mainstream de big data em três Vs:

Volume. Clubes de futebol coletam dados de fontes variadas, incluindo variáveis mecânicas, fisiológicas, percepção do esforço dentre outras, tanto em sessões de treinamento quanto nos jogos.

Velocidade. Os dados são transmitidos numa velocidade sem precedentes e devem ser tratados em tempo hábil. Diversos sensores e medições inteligentes estão impulsionando a necessidade de lidar com os dados praticamente em tempo real.

Variedade. Dados são gerados em inúmeros formatos — desde dados estruturados a não-estruturados.

Temos como missão transformar esse grande volume de dados adquiridos em um produto de alta qualidade e fácil compreensão.

 

CONTATOS

Prof. Dr. André Gustavo Pereira de Andrade

E-mail: andreguto@yahoo.com.br

Telefone: 31-34092327